2 Anos de Olhe Fora da Caixa: o que aprendi, onde errei e como será o futuro

Já contei minha história com a Olhe Fora da Caixa em diversos lugares, eventos, aulas online, palestras, papos com grandes empreendedores da web e em cafés com amigos. Provavelmente, se você já leu nosso livro online “Comece Sua Mudança”, conhece um pouco da minha história.

Mas neste artigo eu decidi aprofundar um pouco mais sobre os 2 anos de existência da Olhe Fora da Caixa, deste blog, projeto e escola online. Isso porque no dia 1° de fevereiro agora de 2017 completamos 2 anos de existência. Foda demais!

Mas tudo começou em 2006.

Neste mesmo ano li um dos livros que mais modificou minha mente e minha vida, o clássico Pai Rico Pai Pobre, de Robert Kiyosaki. Antes eu já havia lido obras de Napoleon Hill, Dale Carnegie e outros grandes e antigos nomes do crescimento pessoal, mas nada havia despertado mais minha mente do que Robert Kiyosaki.

Tomei a decisão de continuar sempre lendo, cada vez mais, e levei meu foco a entender como a mente humana funciona, porque algumas pessoas são ricas (financeiramente e de espírito) e outras não, como alguns tem muita energia e outros são quase que zumbis perdidos na Terra. Essa obsessão por esses temas me segue até hoje e só aumenta a cada livro, estudo, pessoas e métodos que conheço.

Fui, aos poucos, testando ideias na minha própria vida. Ideias que lia em livros, aprendia em palestras e em biografias, conceitos que conhecia em documentários e através de grandes mentes que fui conhecendo na jornada. Nascia em 2010 o desejo de transbordar esses conhecimentos, de compartilhar e levar essas ideias para mais pessoas além da minha mente.

Timidamente fui fazendo isso com meus amigos, parceiros de negócios e até com os funcionários que tinha na empresa da qual era sócio.

Em 2012 foi o momento eureka.

Estava tomando um café, como de costume, na agência Social Tag da qual fui fundador e sócio durante alguns anos. Entre pensamentos e ideias que surgiam em bate-papos com meus ex-sócios, Beto e Rafa, comentei que iria criar um blog sobre autoconhecimento, mas não tinha ideia de nome ou como seria.

Depois de alguns minutos, Blinnnn… Surgiu na mente o nome Olhe Fora da Caixa. Depois de uma reflexão rápida e simples percebi que as pessoas, para que agissem, tinham que parar de pensar dentro da caixa e começar a Olhar Fora da Caixa. Só quando olhamos aquilo que tanto desejamos é que agimos.

Registrei o domínio, paguei hospedagem e criei o blog Olhe Fora da Caixa. Esse ao lado é a primeira versão do blog. (Colocar Imagem do Tema). Escrevi 2 artigos, tive 7 comentários de pessoas dizendo que seria um sucesso e me incentivando a continuar, mas abandonei, procrastinei.

De 2012 até 2014 meu foco foi na agência de marketing.

Setembro de 2014 algo aconteceu.

Eu estava indo, às 7h da manhã, para o escritório da agência. Naquela época tudo estava indo bem, cerca de 15 funcionários, grandes clientes e um desejo enorme de todos para que a empresa progredisse, menos eu. Dentro de mim algo dizia que eu deveria fazer outra coisa, criar algo com mais paixão.

Parei em frente ao escritório da agência e dentro do carro eu chorei.

Tudo estava indo bem, aparentemente. Mas comigo não. Eu estava acima do peso, mesmo sendo um dos sócios da agência ganhava menos do que alguns funcionários e sentia que aquilo não teria mais nenhum futuro. Naquele dia eu não entrei na empresa, voltei pra casa e tomei uma decisão de que tudo iria mudar.

Em 2009 eu havia criado um dos mais respeitados blogs sobre redes sociais do Brasil, era sócio da agência e tinha acabado de casar com a Tati. Mas resolvi que tudo iria virar de ponta cabeça.

“E de repente a vida te vira do avesso e você descobre que o avesso é o seu lado certo.”

2014 vendi o blog sobre redes sociais, vendi a minha parte da agência para meus sócios e tomei a decisão de que iria mudar a minha vida e que não iria aceitar que pessoas perdessem tempo vivendo algo que não querem viver.

No dia 1° de fevereiro de 2015, oficialmente, sentei a bunda na cadeira em um escritório improvisado em casa e comecei a Olhe Fora da Caixa, cheio de desejo, de vontade de mudar o mundo, a mesma vontade que ainda bate bem forte aqui dentro. Na foto acima o nosso escritório improvisado com duas mesas compradas no centro de São Paulo, com desconto.

Eu não sabia por onde começar, mas comecei.

Não tinha a menor ideia de como eu iria ganhar dinheiro com isso. Nada mesmo. Foi então que fui convidado por Rafael Galdino, hoje sócio na Neuari, uma das maiores agências de lançamentos do Brasil para palestrar em um evento online.

Na época eu pensei: oi, evento online? como assim?

Embora eu trabalhasse já há bastante tempo com internet, minha referência com eventos era totalmente presencial, fora da web. Tanto que em 2011 realizei, junto com a agência da qual era sócio, mais de 8 edições de um evento respeitado sobre mídias sociais em São Paulo.

Pedi ao Galdino que me mostrasse como isso funcionava e me lembro até hoje, com bastante carinho, o dia em que ele e o Fernando também sócio da Neuari, ficaram mais de 2hs conversando comigo na recepção do hotel em que estavam, aqui em São Paulo, me explicando como tudo funcionava. Obrigado Gal e Fernando!

Naquele dia voltei pra casa esperançoso e cheio de ideias.

Na mesma época conheci o amigo e parceiro Leo Alvarenga, hoje um grande nome do empreendedorismo digital, mas que na época estava começando também. Fiz uma proposta para o Leo de criarmos juntos um evento online, diferente e focado em ajudar muitas pessoas.

Movimento Vá Mais Longe
1° projeto online – março de 2015

Foi assim que nasceu o Evento Online Vá Mais Longe. Na época muitos congressos estavam pipocando na internet e era a sensação do momento. Mas nossa ideia e trabalho foi além: criamos um evento com 60 palestrantes, muitos deles se tornaram grandes amigos hoje, atingimos mais de 15 mil pessoas e faturamos R$ 98 mil reais.

A foto acima, quase sem foco, representa o primeiro encontro presencial que fizemos com alunos do Movimento Vá Mais Longe. Foi um ótimo dia para se lembrar :)

Nota: comecei a Olhe Fora da Caixa em Fevereiro 2015 e o Vá Mais Longe aconteceu em Março, apenas um mês depois. O que isso quer dizer? Se você está com vontade, dedicação e sangue no olho tudo acontece.

Programa Hábitos Produtivos
2° projeto online – Maio de 2015

Empolgado com o sucesso do Vá Mais Longe, recebemos convites para eventos, parcerias em outros projetos e muitas outras coisas que o “sucesso” momentâneo traz. Aceitamos algumas, recusamos outras.

Como sempre fui apaixonado por produtividade, hábitos e mindset (Obrigado Robert Kiyosaki mais uma vez) resolvi criar um curso online sobre criação de hábitos. É neste momento que a confiança me ferrou.

Acreditei que manjava bastante dos paranauê, sabia tudo sobre o mercado e fui com a cara, coragem e ego inflados para criar este produto. Criei, lancei e me fodi! Não vendeu quase nada e disso eu tirei uma grande lição: vá com calma, tudo tem seu tempo e tudo exige planejamento, comece pequeno e tenha paciência e dedicação para crescer.

Descontinuei o programa, transformando ele mais tarde em um dos nossos projetos mais alinhados com a nossa verdade e busca pela transformação.

Treinamento Ebooks Que Convertem
3° projeto online – Julho de 2015

Como havia criado alguns ebooks de sucesso era bem comum receber emails de pessoas querendo saber qual a melhor forma de criar ebooks. Aqui entra uma lição: fique atento ao que seu público, se você tem um negócio, está lhe dizendo. Eles trazem e mostram necessidades a todo momento e é ai que você deve focar.

Com isso criei o Treinamento Ebooks Que Convertem e até hoje este curso é um dos mais acessados e que transformou o sonho de trabalhar online de muitas pessoas. Neste exato momento temos 748 alunos.

Programa Vá Mais Longe
4° projeto online – Setembro de 2015

Eu e Leo Alvarenga continuamos sócios no Movimento Vá Mais Longe por uns 11 meses. Nessa jornada percebemos que muitas pessoas queimavam a ponte, largando seus empregos e tentando empreender no digital sem nenhuma estrutura ou ideia.

Eu já tinha um projeto guardado nas minhas anotações de criar um treinamento com um passo a passo para quem realmente queria fazer uma transição de carreira. Já tinha feito isso em alguns momentos da vida, estudado bastante o assunto e sabia quais eram os grandes problemas que a maioria das pessoas comete ao fazer essas transições. Problemas como falta de planejamento, organização, dinheiro, parcerias e etc. O Leo também tinha a mesma ideia.

Criamos o Programa Vá Mais Longe e tivemos em 2015 duas turmas de alunos. Considero este programa um sucesso, mesmo depois de ter saído da sociedade com o Leo para direcionar meu foco aos cursos da Olhe Fora da Caixa. O Programa Vá Mais Longe mudou a vida de muitas pessoas e isso não tem preço.

Empreendendo com Blog
5° projeto online – Janeiro de 2016

No final de 2015 eu estava um pouco inquieto com a forma como algumas pessoas estavam ensinando a criação de negócios através da internet. Claro que aprendi com muitos, mas a maioria, pelo menos naquela época, ensinava algo que por muitas vezes estava ultrapassado e eu sabia que não funcionava como prometido.

Como empreendo com projetos digitais desde 2004, quando criei meu primeiro blog e trabalhava com criação de sites para pequenos empresários, sabia que existiam diversas outras formas de ganhar dinheiro online e uma delas eram os blogs. Já tive mais de 12 blogs, a maioria não tive nenhum retorno financeiro, o que foi maravilhoso porque assim aprendi a criar negócios lucrativos com blogs.

Assim, em setembro de 2015, coloquei no ar a primeira versão do método que utilizo há anos para criação de negócios digitais e dei o nome de Empreendendo com Blog. Foi um sucesso, 10 vagas abertas e 10 alunos em 24h. Era um teste e eu queria ver o sucesso destes alunos.

Até este método se tornar um curso realmente online ele passou por modelos de orientação, consultoria, mentoria e até um curso presencial em São Paulo para 18 pessoas. De lá pra cá abrimos várias turmas do Empreendendo com Blog e diversos alunos estão com seus projetos online e faturando com o que amam fazer. Este é o caso da Malu Naves, do Leandro Bolsoni, da Lara Lobo, do Marcio Coelho e muitos outros.

UPNow
6° projeto online – Novembro de 2016

Mas aquela minha inquietação para transformar a vida das pessoas utilizando a criação de novos hábitos, a mudança de mindset e o autocontrole ainda batia forte. Então retomei o projeto que se tornou hoje o nosso principal foco de trabalho e criamos o UPNow, nosso curso sobre alta performance.

O UPNow cria Upers, pessoas que transformam suas vidas através de reconfiguração de suas mentes, entendem seus motivos e prioridades, criam novos hábitos produtivos e direcionam sua vida através do autocontrole e da inteligência emocional.

Nossa meta com o UPNow é transformar a vida de 1 milhão de pessoas nos próximos anos e estamos trabalhando forte para isso.

Mas depois de tantos projetos, sucessos e vacilos eu aprendi coisas valiosas e que quero compartilhar com você.

O que fazer e o que não fazer: coisas que aprendi nestes dois anos

1. Comece pequeno e vá crescendo

No começo de qualquer projeto você precisa entender que existem os que conseguem ter sucesso muito rápido, estes são os que fazem parte da curva exponencial. Mas a maioria, e provavelmente isso vai acontecer com você, vai ter um crescimento linear.

Então, se você tem em mente um projeto, uma ideia ou quer simplesmente viver fazendo o que realmente ama e precisa trocar de emprego para isso, aprenda a começar pequeno e ir crescendo. Siga a jornada, um passo de cada vez que aos poucos as coisas irão acontecer.

2. Suas ideias não valem de nada

Não valem mesmo. Ideias todo mundo tem o tempo todo. Em um estudo que li há algum tempo pesquisadores descobriram que as mesmas ideias que você tem com relação ao seu bairro ou a comunidade que você participa é bem provável que seu vizinho também tenha uma ideia similar a sua.

O que diferencia os que têm sucesso é a execução dessas ideias. O mundo está cheio de pessoas de iniciativas e o que precisamos são pessoas de “terminativas”, que persistam em seus projetos e ideias até que possam obter sucesso.

Também é bem provável que suas ideias não sejam as que seu público vai querer ou comprar. Eu caí nessa cilada (Bino!) quando criei o Programa Hábitos Produtivos e outros projetos antes da Olhe Fora da Caixa. As ideias que mais terão resultado são as que seu público lhe disser de forma consciente e inconsciente.

3. Consistência Constante

Isso foi um dos vacilos que eu mais cometi e este ano nosso foco é não cair mais nessa cilada. Seja consistente no que você cria, consistente de forma constante (usando a redundância mesmo).

Se pretender criar artigos para seu blog e definiu que vai criar pelo menos 1 artigo por semana, faça isso sem vacilar. Você se propôs a gravar 2 vídeos por semana para seu canal do Youtube? Faça isso.

Um grande exemplo é a empreendedora Marie Forleo. Ela publica, há anos, um vídeo e artigo em seu blog toda semana sempre às terças-feiras. Não é à toa que ela tem milhões de seguidores e fatura milhões de dólares por ano.

4. Aprenda a errar e aprenda a voltar rápido

O erro vai acontecer em qualquer jornada. O desânimo vai acontecer em qualquer projeto, a falta de motivação também. Aprendi nestes 2 anos que o que vale não é quanto você errou, mas o quão rápido você retorna a sua jornada.

Mas este retorno só acontece quando sua mente sabe exatamente suas prioridades e seus reais motivos do porque você está dedicado ao seu projeto. Aceite o erro, aprenda com ele e siga em frente. Não são os que acertam mais que têm sucesso, são os que persistem até conseguir o que desejam.

5. Ouça sua intuição

Em uma das suas obras Napoleon Hill cita o poder da intuição, aquela voz que fica na sua cabeça dizendo pra que você tome um caminho. Ele diz que a maioria dos empreendedores e gênios que criaram e modificaram este mundo, além de suas habilidades, ouviam muito a sua intuição.

Mas na maioria das vezes nós seguimos os caminhos mais racionais, por acreditarmos que somos seres racionais que sentem.

Aprendi que isso é errado. Somos seres emocionais que pensam e não ao contrário. Por isso, aceite e acredite na sua intuição, se algo na sua cabeça e no seu coração lhe diz que você deveria seguir um determinado caminho, siga.

A intuição é sempre mais forte e ela sabe mais do que muitos gurus. Lembre-se: você é maior especialista em você mesmo.

Esses dias assisti um documentário muito interessante sobre o assunto e recomendei para diversas pessoas, se chama InnSaei, o poder da intuição. Tá lá no Netflix!

6. Evite a comparação

A comparação causa desespero. Isso é muito real. Eu acredito que devemos ter espelhos, pessoas que admiramos, que moldamos e isso entra bastante na área de ter e encontrar mentores (que falarei mais abaixo). Mas neste mundo de informação em excesso o sucesso de muitos parece algo milagroso e nem sempre é assim.

Acredite, eu conheço bastidores de grandes projetos e nem sempre o que é revelado é o real. Lançamentos de milhões faturados não são, muitas vezes, faturamento líquido. A vida perfeita e equilibrada, pregada nas palestras motivacionais e nos livros de autoajuda, nem sempre são seguidas por quem as prega.

Então, a única comparação que deve existir é o seu presente com os resultados do seu passado. Este tipo de comparação é saudável e irá te engrandecer.

7. Nunca pare de aprender

Outro erro comum que muitos empreendedores cometem e que, no meio de 2015, eu também cometi foi parar de aprender por excesso de trabalho ou por um gerenciamento mal feito da agenda e do tempo. Fiquei pelo menos uns 3 meses sem ler nenhum novo livro ou fazer algum curso e isso estava me travando.

A curiosidade acontece por causa da combinação de informações, ou seja, se você pára de aprender, pára de criar e de evoluir. Somos ‘aprendedores’, seres que precisam continuar sempre em evolução.

Voltei a aprender, de todas as formas possíveis. Voltei a ler um livro por semana, fazer cursos diferentes e fora da minha área de atuação, assistir documentários novos e entrei em grupos de negócios com foco em crescimento. Boommmm, as coisas voltaram a acontecer.

8. Se apoie e aprenda com os gigantes

Este é um ponto que demorei para colocar em prática a frente da Olhe Fora da Caixa: tenha mentores, eles irão transformar sua vida e seu negócio.

Em 2015 entrei em grupos de mentoria, participei de workshops, encontrei mentores de áreas diferentes e novamente, boommm, o crescimento foi muito maior. Hoje não abro mão de ter bons mentores e em áreas diferentes da vida dos negócios.

Se você deseja evoluir rápido, encontre bons mentores.

E o futuro, como será?

Será muito foda. No meio de 2016 começamos a posicionar a Olhe Fora da Caixa como uma escola online de crescimento pessoal com foco em mindset, hábitos, produtividade e autocontrole. Ainda vamos falar sobre empreendedorismo digital, mas com foco total em viver das suas paixões.

Muita coisa mudou. Minhas prioridades mudaram, meus motivos mudaram e minha jornada mudou bastante também, mas a única coisa que nunca mudou e não vai mudar é o nosso, é o meu objetivo com a Olhe Fora da Caixa: te ajudar a transformar todo seu potencial em uma vida pessoal e profissional incrível e do jeito que você deseja.

O futuro é maravilhoso, vamos criar ele juntos!

Um breve resumo:

  1. Comece pequeno e vá crescendo
  2. Suas ideias não valem de nada
  3. Consistência Constante
  4. Aprenda a errar e aprenda a voltar rápido
  5. Ouça sua intuição
  6. Evite a comparação
  7. Nunca pare de aprender
  8. Se apoie e aprenda com os gigantes

Eu espero que este pequeno relato sobre nossos 2 anos com a Olhe Fora da Caixa e tudo que aprendi nessa pequena jornada te ajude a começar ou continuar na sua jornada, errando, mas voltando rápido, começando e terminando e, principalmente, se divertindo.

Como será o seu futuro? Comente abaixo!